A manifestação de um pastor em apoio a Jair Bolsonaro (PSL) repercutiu em sua cidade e mobilizou o crime organizado local a cometer um atentado como forma de intimidação. A casa pastoral foi metralhada na madrugada do último domingo, 14 de outubro.

O pastor José Costa de Melo, da Assembleia de Deus Templo Central, em Itapajé (CE), acredita que o crime tenha sido motivado por conta de sua posição política de oposição ao PT e ao progressismo.

As câmeras de segurança da residência flagraram o momento, por volta das 02h30 da madrugada, quando um veículo Chevrolet Onix preto parou em frente ao portão e os disparos foram efetuados, com pistolas e uma escopeta.

Segundo informações do portal G1, a Polícia Civil está investigando o caso e ouviu testemunhas, que disseram que os criminosos estavam usando uma escopeta calibre 12 e pistolas .40.

Os disparos perfuraram o portão da residência, estilhaçaram janelas, perfuraram paredes e também atingiram dois veículos que estavam na garagem da casa pastoral. A família toda do pastor estava na residência no momento do ataque, mas ninguém ficou ferido.

Em entrevista ao jornalista Wellington Macedo, o pastor acredita que está sofrendo uma retaliação por sua oposição ao PT: “Eu expressei meu apoio a ele no sentido como cidadão, um direito que me assiste de fazer a minha escolha. Nós estávamos nas vésperas da eleição e eu disse que nós estávamos com o poder na mão para definir as nossas escolhas e que procurassem aquele que mais se identifica com o nosso credo, com a nossa forma de crer, de ver, principalmente porque estamos vivendo em um país onde as coisas estão muito, assim, muito à vontade”, resumiu o pastor.

A Secretaria da Segurança Pública divulgou nota conjunta com a Polícia Civil de que o caso está sendo investigado de maneira apropriada, mas evitou revelar detalhes das informações obtidas até agora, como medida para preservar o andamento das investigações. Ao mesmo tempo, a Polícia Militar intensificou o patrulhamento na região, com equipes do Policiamento Ostensivo Geral (POG), Força Tática e Batalhão de Policiamento de Rondas, além de Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio).

Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira (14) suspeitos de integrar uma quadrilha internacional de narcotraficantes que tinha o aeroporto de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, como principal porta de distribuição de drogas do Paraguai para outros estados. Segundo a delegada Shirlei Sattia, a droga era despachada por um funcionário terceirizado da Infraero - resonsável pela administração do terminal. “A droga era colocada na bagagem dos passageiros que estavam, muitas vezes em comboio, na rampa de despacho, onde este funcionário trabalhava”, explicou Shirlei. Ainda de acordo com a delegada, a atuação do funcionário era determinante para burlar a fiscalização já que ele tinha acesso livre à área

Página 1 de 2

Radio Luz as Naçoes FM © 2018 Todos direitos reservados